Enurese Infantil
Por Thaís M.F.Reis

Uma das queixas comuns nos consultórios de psicologia é a enurese infantil.

Definida por alguns autores como liberação involuntária da urina após os 05 anos de idade (idade em que a criança já teria aprendido a controlar os esfíncteres).

Existem algumas hipóteses explicativas para a enurese, sendo que Miller (especialista nessa área) afirma que de 1% a 3% das enureses são associadas a determinantes orgânicos, e que na maior parte dos casos apontam para questões psicológicas.

Os pais normalmente buscam formas alternativas para lidar com a enurese, desde mandar a criança lavar sua própria roupa de cama, broncas, ignorar o fato, e até mesmo tentar ser compreensivo com a situação. A busca por terapia costuma ser o último recurso que os responsáveis pela criança buscam para sanar o problema.

Para o psicólogo é fundamental entender os sentimentos de todos da família (preocupação, vergonha, culpa, etc), pois muitos desses sentimentos não são compartilhados. É de extrema importância que a criança como todos os membros da casa compartilhem os sentimentos sobre essa situação.

Na abordagem fenomenológico-existencial não se busca a causa, mas sim a compreensão do "modo de ser da criança na sua vida atual". Muitas crianças que apresentam sintomas físicos, dentre eles a enurese, evidenciam muita dificuldade de expressar seus sentimentos.

Na psicoterapia infantil, é importante que a criança sinta-se primeiramente responsável pelo fazer xixi na cama, para depois auxiliá-la a tomar consciência do seu corpo. Além disso, o mais importante é auxiliar a criança a expressar seus sentimentos, não apenas em relação ao "fazer xixi", mas também em relação a outros fatores da vida. A ludoterapia possibilita que a criança descubra formas de expressar seus sentimentos e que adquira o controle sobre si mesma, fator fundamental para que a queixa seja solucionada.

Bibliografia - Leituras Indicadas:

Perturbações de eliminação na infância e adolescência
Barros, L.

Descobrindo Crianças
Violet Oaklander

O mundo da criança enurética: um estudo fenomenológico-existencial
Cleonides Martins de Oliveira

Voltar